• Dica da EMA
  • Match Point

    No inicio dos anos 2000, críticos chegaram a declarar morta a carreira de Woody Allen. O filme mais caro da história de sua carreira, O Escorpião de Jade, foi um fracasso de bilheteria e de crítica, seguido por mais três fracassos absolutos. Forçado a ir ao exterior em busca de financiamento, Allen teve de adaptar […]

  • Dica da EMA
  • Bacurau

    A terceira obra de Kléber Mendonça Filho, dirigida em conjunto com Juliano Dornelles, é mais um sucesso em uma das carreiras mais estratosféricas do cinema brasileiro. A obra representa uma quebra com seus dois filmes anteriores, deslocando-se de um ambiente urbano para o rural e exacerbando a dinâmica vilão/mocinho que já era sugerida em Aquarius. […]

  • Dica da EMA
  • Interlúdio

    Com seis décadas de carreira e mais de cinquenta filmes produzidos, é muito difícil selecionar uma única obra que englobe todas as facetas de Alfred Hitchcock. Interlúdio, de 1946, certamente não atingiu o sucesso de Vertigo ou Psycho, mas é um bom candidato. Um divisor de águas na carreira do mestre britânico, a obra combina […]

  • Dica da EMA
  • O Ódio

    Antes de O Ódio, Mathieu Kassovitz já era considerado um ator e diretor promissor, mas esta obra provavelmente superou expectativas. Além de um prêmio de direção no festival de Cannes e três César, O Ódio lançou Vincent Cassel ao estrelato. O filme apresenta forte crítica social e é famoso por refletir as incertezas econômicas e […]

  • Dica da EMA
  • Ruína Azul

    Jeremy Saulnier fez seu nome na sétima arte como cinegrafista, mas desde o início da carreira dirigiu projetos paralelos com baixo ou nenhum orçamento. Ruína Azul, de 2013, foi produzido com financiamento coletivo de quatrocentos e vinte mil dólares. A cifra, talvez impressionante em outras artes, é irrisória para o mundo do cinema, representando um […]

  • Dica da EMA
  • Creepy

    Após o sucesso de títulos como O Chamado, de Hideo Nakata, e O Grito, de Takashi Shimizu, o cinema de horror japonês tornou-se mundialmente famoso. O estilo idiossincrático dos diretores japoneses levou a diversas referências na cultura ocidental, seja em paródias ou remakes. Creepy, do peso pesado Kiyoshi Kurosawa, mostra um lado mais contido do […]

  • Dica da EMA
  • Onde os Fracos Não Têm Vez

    Se Fargo já pode ser considerado uma obra prima, Onde os Fracos Não Têm Vez, décimo segundo longa-metragem dos irmãos Cohen, é provavelmente a melhor obra da dupla até o momento. O filme aprofunda temas já abordados em algumas de suas obras passadas, mas praticamente abandona a comicidade mórbida de outras produções da dupla. Mais […]