Stalker

stalker

Assim como Solaris, também de Tarkovski, Stalker pode parecer demasiadamente lento para uma audiência acostumada com produções de Hollywood. Apesar disso, aqueles capazes de navegar por seus diálogos filosóficos e rica simbologia terão uma experiência similar à de um clássico de Dostoiévski: a cada nova leitura, dezenas de novos significados vêm a tona. Ademais, nas próprias palavras do diretor, “O filme deve ser lento e tedioso no começo, para que as pessoas que entraram na sala errada tenham tempo de sair antes da ação principal.”

Num futuro incerto, um homem  trabalha como guia clandestino para um lugar conhecido apenas como “a zona.” A região é cheia de armadilhas e parece não obedecer completamente as leis da física. Dentro dela, há uma câmara capaz de dar àquele que lá adentra seu desejo mais profundo. Por medo de pessoas mal-intencionadas, a região é fortemente guardada pelo exército. O filme acompanha a jornada de três homens: o guia, um escritor e um professor. Conforme eles percorrem o tortuoso caminho até a câmara, suas motivações e visões de mundo são expostas e discutidas.

O fato de nenhum dos personagens ter um nome próprio é crucial para o entendimento desta obra. Este não é um filme sobre a jornada destes homens, é um filme sobre suas ideias. Cada personagem é um arquétipo de uma certa maneira de pensar, enquanto a zona pode ser vista como metáfora para Deus. O guia, capaz de se deslocar pelas trilhas invisíveis do lugar, representa a fé. O escritor, com seus comentários ácidos e pessimismo degradante, representa a arte. Como tal, é assombrado por dilemas acerca de sua utilidade e função no mundo. O professor representa a ciência empírica, mais focado em observar a zona do que em comentários pessoais. Para eles, a jornada até a câmara é uma mistura de expedição e peregrinação. Assim, Stalker é um grande exemplo de mídia visual utilizada como forma de expressar ideias mal adaptadas à dureza racional da palavra escrita, expressando em poucas horas o que não caberia em um livro inteiro.

Por Henrique Fanini Leite

2 Comentários

  1. […] importante papel na narrativa, aprofundando significados e intenções. Embora longe do extremo de Stalker, aqui também temos uma obra preocupada em expressar uma visão filosófica concomitante e […]

  2. […] julgar pelas adaptações cinematográficas de suas obras, a começar com Stalker, os irmãos Arkady e Boris Strugatsky quem sabe sejam os escritores de ficção científica mais […]

Gostou? Deixe seu comentário!