O Sol Enganador

O termo alma russa (Русская душа), originalmente referindo-se a tendência dos escritores russos a algumas características comuns, inerentes à nacionalidade, descreve “O Sol Enganador” com perfeição. A obra-prima de Nikita Mikhalkov, vencedora do prêmio do júri em Cannes, é um retrato filosófico do período de repressões pré Segunda Guerra Mundial na União Soviética. É conhecido pelo excelente uso da metáfora como elemento narrativo.

Em 1936, o veterano da revolução bolchevique Sergei Petrovich Kotov vive com a família de sua esposa em uma fazenda coletiva. Kotov é um admirado por todos no vilarejo devido ao seu papel na revolução, por vezes atuando como líder da comunidade. A família é surpreendida com o retorno de Mitya, que desaparecera treze anos antes. Mitya era noivo da esposa de Kotov antes do desaparecimento. Aos poucos, fica claro que os dois estão ligados por muito mais que apenas esse fato.

Filmado em 1994, O Sol Enganador é uma denúncia da repressão soviética, tema que teve seu ápice nos anos oitenta e noventa, mas ainda hoje permanece em voga nos festivais europeus. O período retratado é conhecido como “O grande terror” ou “O grande expurgo.” Nele, cerca de dois terços de todos os oficiais políticos e militares da URSS foram executados, incluindo treze dos quinze generais do exército vermelho. Mesclando delicadeza e brutalidade, o filme escapa da demagogia característica de filmes “ativistas”. Assim o faz provavelmente por não ter essa intenção declarada. Ocorre, sim, uma tragédia, e sim, possibilitada por um sistema repressor – mas provocada por fraquezas humanas, e é nisso em que a obra transcende o ordinário. Os elementos visuais, a começar com a misteriosa bola de fogo que dá nome ao filme, tem importante papel na narrativa, aprofundando significados e intenções. Embora longe do extremo de Stalker, aqui também temos uma obra preocupada em expressar uma visão filosófica concomitante e complementar ao enredo, algo muito bem fundamentado na tradição de seu país de origem.

Por Henrique Fanini Leite

1 Comentário

  1. […] o Cinema Russo tenha produzido algumas obras primas durante a década de 90, como O Sol Enganador, é fato que a catastrófica transição para uma economia de mercado prejudicou a sétima arte no […]

Gostou? Deixe seu comentário!