O Culto

Produzido, dirigido e estrelando a dupla Aaron Moorhead e Justin Benson, O Culto é mais um exemplar da excelente safra americana de filmes independentes de ficção científica, vindo na esteira de filmes como The Invitation e Time Lapse. A obra foi lançada no festival Tribeca em 2017. Seu estilo psicológico rendeu comparações com a obra de David Lynch.

Os irmãos Justin e Aaron vivem juntos em alguma grande cidade dos Estados Unidos. Além das dificuldades financeiras, os dois têm problemas para se socializar, tudo isso devido a um passado complicado: os irmãos são sobreviventes de um culto suicida, do qual escaparam ainda crianças. Justin, o mais velho, foi o grande responsável por isso; Aaron não se lembra de quase nada. Certo dia, eles recebem uma fita de vídeo com uma mensagem de seus antigos companheiros. Por insistência de Aaron, os dois decidem voltar ao lugar de onde escaparam, apenas por um dia.

Para quem acompanha as dicas da EMA, não é preciso falar que qualidade e orçamento de produção têm pouca relação entre si. O Culto é mais um exemplo disso. Este filme tem ambições modestas: não busca nada para além de uma experiência engajante de entretenimento, apesar do grande potencial dos temas que aborda. A decisão é acertada, já que o enredo já é um bocado complexo sem devaneios metafísicos ou coisa que o valha. Somos movidos por uma dúvida: estariam os dois de fato em um culto suicida? O ponto mais forte da obra – e que a diferencia de dezenas de filmes semelhantes – é trazer uma resposta para além do sim ou não. Se no início os personagens parecem ter papéis claros, a resolução do mistério é também uma lenta quebra de convenções e estereótipos. O resultado não chega a ser revolucionário, mas te deixará na ponta do sofá.

Por Henrique Fanini Leite

Gostou? Deixe seu comentário!