Na Doutora

na-doutora
Estudos afirmam que o tempo médio gasto para olhar envergonhadamente a cara gelada da médica, tatear a bolsa no colo em busca do celular (está no zíper maior de dentro, porém dessa vez numa posição diferente, que quase deixa cair ao pari-lo para fora da bolsa), encontrar o botãozinho verde com o reflexo das paredes brancas e apertá-lo, dizendo com o outro ouvido tapado: Alô? Alô? Oi, Neide! Não, não estou em casa. Não, não, o Nêne que ficou lá. O Nêne não gosta de atender telefone. Estou aqui no posto, Neide. No postinho. Aqui na doutora (olha com orgulho e um sorriso)! Na doutora do postinho, Neide! Sim! Do SUS. Do INPS. Do postinho de saúde, Neide. Não é nada, Neide! Não, não, não precisa se preocupar! Só vim pegar o remédio… o remédio… Neide! Nada, Neide, só o de sempre. Eu preciso desligar, estou aqui na consulta! Aqui na consulta! Depois eu ligo pra você, Neide… ah, sim, depois a gente vê, Neide! Eu não consigo abrir a mensaginha enquanto falo com você. Uma semana abençoada! Obrigada, um beijo!, depois confirmando o fim da ligação com um recuar do queixo É a Neide, minha vizinha! Conhece? É claro que a senhora conhece! Também consulta com a senhora, doutora! É uma que o marido é bêbado. Ela vive aqui no posto! Tem problema de coluna, também toma desse Mitriptina, desligar o aparelho e dizer Desculpe, doutora, a Neide não tem educação. E eu falei que estou na consulta!, colocando o telefone no bolsinho é de aproximadamente um minuto e quarenta e dois segundos, podendo variar de acordo com a tecnologia do dispositivo, a capacidade intelectual do paciente e a Lei de Murphy. Essa mesma lei afirma que as chances de a enfermeira atrapalhar a consulta com alguma tarefa urgentíssima nestes mesmos um minuto e quarenta e dois segundos variáveis é praticamente zero. Cem por cento é a dona Maria guardar o celular com uma desculpa tão polida e então vem a enfermeira com mil prescrições vencidas e perguntas (porque as enfermeiras também estão aflitas com a fila), e dona Maria, com mais um sorriso, vinga-se. Estou presa nas tarefas imprescindibilíssimas com ela ali tão disposta, segurando a receita do mês anterior enquanto olha orgulhosa pro relógio. Hoje está corrido, né, doutora? Esse posto cheio e não tem médico, não tem remédio. Ano de eleição. A enfermeira concorda: Ano de eleição. Dona Maria continua enquanto assino e carimbo papéis maquinalmente. Levei quatro meses pra conseguir marcar com a senhora, também porque da última a senhora estava doente e ligaram remarcando, e eu até vim aqui no dia, doutora, mas falaram que a senhora não estava mesmo. Devia ser um problema sério, então. O que aconteceu com a doutora? A própria enfermeira diagnostica a consulta incidental: Virose. Alinho as folhas com uma batida sobre a mesa, sorriso pálido. Vai, enfermeira, tchau!
Pesquisas demonstram: se a enfermeira não voltar à sala e não houver nenhuma emergência, a probabilidade da impressora parar de funcionar aumenta trezentas vezes. Podemos voltar, dona Maria? Desculpe. Ela corrige Eu é que me desculpe, doutora. Eu aqui atrapalhando o seu tempo. A senhora está sempre tão ocupada, correndo pra lá e pra cá. Dona Maria gosta de mim, sabe que não faço cara feia por mal, mas é que são um minuto e quarenta e dois segundos nos quinze que tenho para atendê-la. Oito e cinquenta e um. Oito e cinquenta. Oito e quarenta e nove… E porque sei que ela vai usar os minutos alheios para que, ao final do dia, todos tenham furtado meus próprios minutos. Que ela é uma senhora e abusa da condição de senhora mesmo que eu não abuse da minha posição de arauto. Cale a matraca, pecadora! Esse controle do diabetes está um lixo e seu risco cardiovascular em dez anos aumentou mais do que o preço da caixa de chocolates que você come no tempo de um capítulo da novela. E ela continua falando do neto, do neto, do neto. Eu não consigo fazer nada pelo neto lá no Norte, dona Maria, mas vamos voltar com as caminhadas, com a dieta, vá fazer algo legal, tome o remédio, por favor! Por favor eu, dona Maria, que cada úlcera abrindo na sua perna me infecciona o espírito, e soma zeros à conta de todos. Todo mundo fazendo vaquinha pra te dar um stent novo de Natal.
Sei que dona Maria voltará, celular ligado, porque gosta de conversar comigo e não com o outro médico, que você entende dos meus problemas, doutora. Desperdiça mais um minutinho reclamando Não vou muito com a cara dele. Não encosta na gente, nem fala nada. Dona Maria vem e me conta o que quer, não lembra o que quero, não segue o que digo. No entanto, fala que segue, causando confusão. O remédio que parou de tomar porque fez mal. E melhorou? Não, continuou tão ruim, até pior. E por que não voltou a tomar o remédio? eu quis saber. Remédio? Mas qual remédio? Esse que a senhora parou. Dona Maria jamais decorou o nome do remédio, O outro médico não botou aí? É claro que não. Por que ele não botou aí? E eu lá vou saber, dona Maria? Eu não sei do que o outro médico não registra. Não sei opinar sobre a cirurgia que o oftalmologista indicou, já que a senhora jura que não há nada errado com as vista. Não sou um detector de doenças, pra você apontar o corpo perguntando doutora, o que é dor aqui? Também não sei qual foi o exame que a senhora fez há vinte anos, quando morava no interior, e que veio ruim, mas sei que provavelmente não vai aparecer na tomografia de corpo inteiro que a senhora quer fazer e que eu jamais pediria, mesmo que pudesse. E não, o hemograma completo não é como um mapa astral, LABS (25/07) HB 12,4,, HT 43% VGM 90 RDW 13% que prevê todas as doenças que a senhora vai ter na vida. Não sei de bate-pronto o que é essa sua dor no baço, mas chutaria gases, se fosse uma prova prática, aqui, agora, com o Mário Sérgio olhando. ECO (15/01) SUGEST ESTEATOSE HEPÁTCA LEVE A propósito, o baço fica do outro lado. De onde você pegou diabetes? Por que apareceu esse cisto que não incomoda? CISTO ~0,8CM Ø Eu falei pra senhora não exagerar no tricô, dona Maria. E os exercícios que te ensinei? PUNHO ESQ, INDOLOR, MÓVEL / NEGA AUMNETO PROG NOS ÚLTIMOS 50 ANOS DIMNUI C/ REPOUSO ART. Dona Maria, se a senhora continuar fazendo radiografia desse cisto, quem sabe uma hora ele vire mesmo um câncer. Eu queria operar, doutora, mas o médico do ombro não quis mexer e me mandou pro médico de mão. Por que esse remédio pra coluna que a senhora compra por conta faz mal? USA BETAMETASONA IM SEM PRESCRIÇÃO UQE FARMACÊUTICO AMIGO APLICA Quanto tempo leva pra sair o exame? RESSOLICITO LABS QUWE NÃO AGENDOU Ah, a senhora também perdeu todas as receitas e precisa que eu renove, sem esquecer o Bofreno e o Emeprazol? Se eu acredito em Deus, dona Maria? De que importa? ME3TFORMINA 850 MG TOME, VO, 01 CP APÓS O ALMOÇO E 01 CP Por que é que eu não te conto logo o segredo mágico pra emagrecer? Eu já disse, dona Maria. SOLICITO ECG TAQUICARD. + PRESCORDIALGIA ATÍP. DURAÇÃO VINTE SEGUNDOS A senhora falou que gosta demais da comida, não foi? Então por que é que não come de verdade? Por que não desliga a desgraceira do jornal na tevê? Nem sente o sabor, e engole sem mastigar? A senhora não gosta da comida. E, se a senhora não gosta, vá fazer outra coisa. DICAS PARA CONTRLAR A GLICEMIA Mas e se esse remédio fizer mal também? Oremos. Pare de ler a bula. RETORNO COM PRIORIDDADE E se não tiver consulta? Não vai ter, mas a senhora é prioridade na falta de consulta. E se o problema for como o da vizinha? Tira da bolsa um papelzinho: FIBROMALGINA. Porque a boca da gente fica amarga depois de tomar café? Qual é o melhor remédio que a senhora pode tomar por conta pra fígado amargo? Se está ok lavar a ferida com sabão de roupa? Por que a senhora não gosta do gosto da água? SOLICITO PRIORIDADE CONSULTA NUTRI Eu não sei, não sei! Me deixa pensar! Me deixa pensar!
Se eu acredito em Deus, dona Maria? Quando a senhora vem, não. Quando passa em frente à sala, sinto um anseio cruel: ser acupunturista. Agulhar cada queixa sua como um vodu inverso, e que você agradeça. (Ai, doutora, calma! Calma que está tudo bem! Que daqui a pouco é a senhora quem precisa de remédio, de uns calmantes, doutora!) Toma aqui esse folheto, dona Maria, que ensina a respirar e não pensar em nada. Se isso não resolver o seu problema, não sei o que mais resolveria.
Coitada da senhora, doutora! Tá estressada, dá pra ver que a senhora está estressada! Até a imunidade baixa, pegando um monte de virose. Não sou senhora, dona Maria… você tem minha idade vezes dois, eu nem sou casada, só estou cansada… e nessas eu ainda acabo infartando antes de você. Da senhora. Esquece! A dona Maria não quer o seu tratamento, quer o dela. Deixa. Deixa a dona Maria com o tratamento que ela quer, que a força para se mudar a cena é uma força de padre. Uma força de padre. Açúcar é pior do que crack. Deixa a dona Maria, já foi. Sabe que está atrapalhando e diz Vou indo, doutora, tem aí um monte de gente pra senhora atender, se deixar ainda dá um beijo de bochecha com cheiro de pó compacto, fica com Deus, até daqui dois meses.
Diz já fora da sala: A propósito, meu nome é Lourdes.
N / Ajzental

Gostou? Deixe seu comentário!