Entre as Marquises do Óbvio

marquises do obvio

De mão em mão. O mocinho panfleta a alma, versejada, aos usuários do metrô. Acha-se e se perde. Há chegada na recepção dos destinatários e partida, no amassar e lançamentos das sangradas palavras: ao chão ou no mais profundo de algum bolso desocupado. Cada face nula valida o instinto do jovem “poetinha” como é (insuportavelmente) marcado.

Mais um milheiro de poesias ao anonimato. Ideias paridas com muito compromisso à verdade das veias incendiárias. Deixa a última folha consigo, admira-a cheio de questionamentos. Fizera inúmeras contas num segundo. O quanto gastara de espírito corpo e bolso para, quem sabe, receber o mínimo retorno dalgum leitor identificado às mensagens grafadas em gênero literário e instintos livres. Nada. Na mão o verso da mesma página reimpressa, onde há ao final a nota pessoal: endereço eletrônico, que diariamente revolve a fim de engatilhar algum contato recíproco. Nada.

Caminha à praia, poucos quilômetros da estação. Frente ao vento e sol e horizonte aberto. Abre-se. Braços largos como o desejo de mundo, ouve que nada são os que pensam tudo pelos outros. Puxa o bloquinho da mochila, ambos sempre a tiracolo. Inicia a nova rebelião pacífica. As armas? Papel tinta e inconformismo. À margem? Que seja, enquanto lhe saia do honesto centro da própria gravidade em construção, ante o grave das órbitas prontas.


Elicio Santos do Nascimento segundo ele mesmo:

Comecei a escrever na adolescência, a princípio somente poesia. Retornei com toda a força à seara literária em 2011. Fiz duas oficinas literárias e hoje sou estudante de Direito (curso o décimo semestre). Remeto colaborações periódicas à revista Capítulo Um. Tenho textos publicados nas revistas Avessa, Litere-se e Literalmente Intrigante. Sou colunista do blog Chavalzada. Tenho quatro livros publicados. Vozes Poéticas; Contos Urbanos, O Porquê das Coisas (prosa poética) e Revolução Singela (poesia). Integro o projeto Leia livros que publica e divulga autores nacionais gratuitamente. Sou colaborador do blog Bio Livros e Poeticação Grajaú. Sou membro da AMCL (Academia Mundial de Cultura e Letras) e da ALPAS 21 (Academia de Letras Pesquisa e Ciências do Século 21).

Gostou? Deixe seu comentário!