Clarão na Lembrança

 

Numa rua qualquer

daquela cidade,

de repente,

um dia,

a gente cruza os olhares.

 

Dos teus olhos, clarão

me rompe as retinas,

me arromba os segredos;

e irrompe a saudade

que há muito vivia

escondida no peito.

 

Me vem a lembrança

de um dia longínquo

em que a luz dos teus olhos

lumiava meus sonhos.

 


Lilia Souza é professora de língua portuguesa e literatura brasileira; revisora de texto; poeta e contista. Membro de várias entidades culturais, como: Centro de Letras do Paraná, UBT – União Brasileira de Trovadores/ Seção Curitiba; Academia Feminina de Letras do Paraná; Academia Sul-Brasileira de Letras; Academia Paranaense da Poesia, que atualmente preside. Tem poemas e contos registrados em revistas e publicações conjuntas; artigos em anais de congresso. Publicou livros de poemas (Água e luz e Avesso em versos) e de ensaios de análise literária (Olhares canhestros). Coordena a Oficina Permanente de Poesia (projeto da Academia Paranaense da Poesia, em parceria com a Biblioteca Pública do Paraná).

 

Gostou? Deixe seu comentário!