Bom Comportamento

Os irmãos Safdie não são dos mais prolíficos diretores, mas jamais serão acusados de ter entrado em uma zona de conforto. Bom Comportamento, lançado em 2017, é prova disso. Como é comum no cinema independente, os diretores também têm participação no roteiro e no elenco. A trilha sonora, assinada pelo nova-iorquino Oneohtrix Point Never, foi premiada em Cannes. A obra também foi indicada à Palme D’Or, mas perdeu para “The Square”. Por vezes confuso, é um thriller intenso, mas com profundidade dramática incomum para o gênero.

Após um assalto a banco frustrado, Connie tem de tirar seu irmão da cadeia. Nick está lá por causa dele. Em uma noite, a fortuna que esperavam torna-se a maior tragédia de suas vidas.

Em essência, Bom Comportamento não trás grandes inovações, mas se destaca por uma trilha sonora interessante e uma performance sólida de Robert Pattinson. Quem assiste o filme sem saber quem é o ator não percebe nem um resquício do vampiro Edwardno personagem que interpreta. A obra reflete bem a angústia de Connie, sem deixar claro se é culpa ou medo que o impele a tentar libertar o irmão. A capacidade de externar claramente o amor de Connie por Nick, ao mesmo tempo em que nos faz duvidar de suas intenções é a maior façanha da obra. A fotografia abusa do zoom e dos closes, numa tentativa de emular os sintetizadores surrealistas. O resultado é uma obra veloz, mas que vai além dos tiros e explosões.

Por Henrique Fanini Leite

Gostou? Deixe seu comentário!