A Outra Face

Segunda Crônica por Cid Brasil

Tenho um vizinho que é obcecado por Jesus Cristo. Mais precisamente em cultuar a verdadeira face do nazareno. Na verdade, conhecendo bem o Seu Hermínio, pessoa muito correta, acho que ele tem medo é que no juízo final seja acusado de ter adorado o Henri Castelli ou algum loirão com coroa de espinho na cabeça. Talvez por isso é que dia desses no elevador comentou, entre fofocas do prédio, que passariam num canal a cabo um documentário da BBC sobre o verdadeiro rosto de Jesus.

— Minha esposa não gosta muito dessas coisas e seria bacana ter algum pra conversar depois. – Disse ele já emendando o convite.

O tal documentário da BBC prometia uma investigação profunda para trazer a lume a verdadeira lata de JC, o negócio não era pra coroinhas e envolvia cientistas forenses, historiadores, teólogos e dois ou três homens sérios de bigodes, desses que dão credibilidade até para propaganda de cursinho pré-vestibular. Coisa séria.

O monoteísmo facial do Seu Hermínio às vezes me deixava embaraçado, mas como a rede globo lá da Inglaterra não brinca em serviço pensei que aquilo sossegaria ao menos as prateleiras do Seu Hermínio que já foram palcos de diversos Jesus SuperStars, como os conhecidos Jesus-andróginos; os Jesus pós-UFC (com o rosto detonado da Crucificação); o Jesus do Mel Gibson; a estampa do homem do Sudário e até uma breve participação do Charlton Heston como Moisés orbitou por lá, este aí num retrato em sépia, todo brilhoso, possivelmente algum souvenir das rodoviárias da vida que meu vizinho jurava de pés juntos ser o filho de deus.

Quando vi Charlton Heston na sala do Seu Hermínio ano passado, eu sabia que ele não devia ser um cara que ia muito ao cinema ou que assistia ao Telecine Cult, mesmo tendo o pacote completo de TV a cabo. Ainda bem que sua esposa já se livrou do protagonista do filme de Cecil B. DeMille porque se tivessem permanecidos nesse pecado eu penso que ao invés de carros, dinheiro e saúde meu vizinho podia ter sido agraciado no último ano com espingardas, revólveres e granadas, sendo o finado o interprete de Moisés conhecido hoje (graças ao Michael Moore) como presidente da associação nacional do rifle, órgão que luta para manter o direito de cada americano ter armas de fogo em casa.

Chegado o grande dia, assistimos a tudo no mais absoluto e respeitoso silêncio. De fato o documentário deitava por terra os traços europeus, a pele de porcelana, os cabelos impecáveis e aquele jeitão Santo Homem que tanto mexeram com a libido das vovós. O verdadeiro rosto de Cristo era mais condizente com a turma lá da Judeia: Cabelos negros encaracolados, largas narinas e um ar espantando.

Ao final, Seu Hermínio parecia decepcionado. Disse que apesar de tudo gostava da ideia de Cristo ter sido cabeludo, com um jeitão de rebelde. Perguntei-lhe então algo que a muito vinha ensaiando, se Jesus já havia aparecido em algum sonho seu. Respondeu que sim. E como ele é? Bonito, é bem bonito, limitou-se a dizer. Na porta, antes de nos despedirmos, Seu Hermínio ainda comentou:

— Mas esse Jesus aí da BBC é as fuça todinha do Lula quando sindicalista, não acha?

O pior é que era.

Cid Brasil é escritor, algo entre James Joyce e José Sarney.

Gostou? Deixe seu comentário!