A Criada

Park Chan-Wook é um dos mais renomados diretores sul-coreanos – e também um dos mais controversos. É conhecido por filmes extremamente violentos, como Oldboy, ou com forte carga erótica. A Criada se enquadra na segunda categoria, com longas tomadas de sexo entre as duas protagonistas. O enredo é baseado no romance Fingersmith, da autora galesa Sarah Waters.

Durante a ocupação japonesa da Coreia, um vigarista auto intitulado “conde Fujiwara” decide seduzir a herdeira de uma grande fortuna, Hideko, que reside na mansão de seu tio em completo isolamento. O conde pretende se casar com Hideko e então colocá-la em um hospício. Para ajudá-lo, Fujiwara contrata Sook-hee, uma órfã com experiência em pequenos crimes. Sook-hee passa a trabalhar como criada pessoal de Hideko, com a missão de fazê-la se apaixonar pelo conde. Um improvável amor acaba despertando entre as duas, mas Fujiwara não é o único mentiroso desta história.

O enredo de A Criada é muito original, com uma série de twists surpreendentes. Sexualidade e perversão são temas centrais, mas a obra não parece interessada em uma discussão aprofundada, explorando o potencial narrativo destes temas sem viés ideológico intencional. Em relação as cenas eróticas, A Criada sofre do mesmo problema de Azul é a Cor Mais Quente, ao praticamente ignorar os aspectos emocionais das relações sexuais. As protagonistas praticam diversas posições com desenvoltura completamente irrealista, numa performance próxima a de um filme pornográfico. A qualidade estética é inegável, mais que isso: excepcional, mas ao custo de forçar um distanciamento por parte do espectador. Esse mesmo distanciamento contamina todo o desenvolvimento da relação de Hideko e Sook-hee, que é apresentada de forma objetiva demais, sob um ponto de vista masculino e fantasioso – não sem certo grau de fetichezação, inclusive. Felizmente, não é o aspecto emocional o ponto central do filme, e sim os desmembramentos do narrador não confiável, que fazem desta uma das obras mais interessantes de 2016.

Por Henrique Fanini Leite

Gostou? Deixe seu comentário!